Miguel Pinheiro Neto e os seus 100 primeiros dias de governo completados neste sábado, 10


Neste sábado, 10 de abril de 2021, o prefeito de Angicos, Miguel Pinheiro Neto (MDB), completa seus 100 dias de governo frente a Prefeitura Municipal de Angicos (RN), e entra para a história regional, por não estar construíndo uma das melhores administrações públicas da nossa região, ao contrário dos seus colegas prefeitos do Sertão do Cabugi que tem acertado em seus respectivos mandatos.

Desde o primeiro dia de seu governo, Pinheiro já se mostrou incapaz de gerir seu próprio grupo político, dando a vez inclusive a diversos adversários políticos os nomeando antes mesmo de quem correu atrás, vestiu a camisa verde e votou no candidato da 'mudança', outra questão foi a divisão dos empregos que ficou mais da metade dos cargos disponíveis para um grupo político que ainda faz parte da sua gestão, magoando aqueles que sempre estiveram ao lado do grupo bacurau, nos momentos mais difíceis.

Em seguida, sua pior decisão, foi a mudança brusca do seu comportamento, diferente da campanha e de que lado você tá? Do lado de Pinheiro, campanha pés no chão, dançando e abraçando o povo humilde, para depois de eleito e assumido o posto de prefeito não cumprir com as promessas de campanha. Esse afastamento, criou uma decepção em massa no seio das camadas mais carentes, tornando-o o prefeito mais detonado por essas bandas, nas redes sociais e em alguns veículos de comunicação. Os bairros e locais mais distantes por onde ele caminhava pedindo votos, estão sem a mão e o olhar do Executivo Municipal Angicano.

Nestes primeiros 100 dias de gestão, a população de Angicos viu, diariamente, o governo Pinheiro Neto cometer uma enxurrada de erros primários, de enganação, auto promoções, lives exibicionistas e sem nenhum benefício para o povo angicano.

Nos 100 dias de governo, o prefeito Pinheiro Neto preferiu tomar o rumo do caminho da indiferença e da injustiça com os bairros mais carentes e as comunidades rurais por ele desassistida, ao tomar certas diretrizes incorretas, decretos fajutos mal elaborados, e uma Saúde Pública pífia, diferente do que pregava, e o mais grave, é o total desmantelamento de parte do corpo técnico, nomeando alguns derrotados nas eleições passada para o legislativo angicano para assumirem cargos sem as devidas qualificações.

Por fim, o que menos esperávamos aconteceu, o travamento da máquina administrativa, produzindo nesses 100 dias de governo, o abandono das vias públicas, onde o mato toma conta, a falta iluminação, e a falta de prumo e coordenação das ações mal elaboradas por aqueles que lhe auxiliam.

O prefeito Miguel Pinheiro Neto fecha esses 100 dias de governo, sem mostrar pra o que veio e sem dizer para que foi eleito, e o pior, conseguiu atrair para si, o mal falatório da população angicana e dos seus próprios aliados que até então não visam melhorias para o nosso município. O arrependimento e a revolta contra seu governo tomam conta das ruas de Angicos.