Missa em homenagem ao Centenário de Manoel Torres é bastante prestigiada

A missa em homenagem ao Centenário do ex-prefeito Manoel Torres de Araújo foi bastante prestigiada por políticos, amigos e a população em geral. A missa foi celebrada pelo padre Gleiber Dantas na matriz de nossa Senhora do Rosário, na noite desta quinta-feira (15).

Padre Gleiber aproveitou para enaltecer a história do político, empresário e do chefe de família. “ Fiel representante do Seridó, a história de luta de seu Manoel ficará para sempre marcada com a sua bandeira branca da paz e esta é a mais alta que qualquer outra. Política e religião não se misturam, mas se unem para um bem comum a favor de uma sociedade mais digna e próspera. A humildade foi marca de seu Manoel e dona Oscarina (esposa). Juntos projetaram um novo amanhã e os seus ensinamentos ficarão para sempre na lembrança dos caicoenses”, disse padre Gleiber.

Após a celebração, será aberta uma exposição com fotografias e objetos que marcaram sua história de vida, iniciando com homenagem em acordes da Banda de Música Recreio Caicoense, no Salão Nobre da Antiga Prefeitura. O Centenário está sendo programado pelo Município de Caicó com apoio da Câmara de Vereadores.

Biografia

Manoel Torres nasceu em Caicó, no dia 15 de fevereiro de 1918, filho de Paulino Batista Pereira Torres e Maria Marcolina de Oliveira Torres e com nove irmãos. Casou-se em 1942 com a natalense Oscarina de Oliveira Torres, que conheceu em Serra Caiada durante o trabalho como empresário.

Dessa união nasceram seis filhos: Dra. Ozelita (médica residente em São Paulo), Dra. Lígia (médica residente em Natal, com atuação no Hospital Regional de Angicos), Carlos Torres (Galileu) (assessor político), Manoel Torres Filho (agropecuarista), Jussara (enfermeira) e Marco Torres (Carrossel) (falecido). A ex-primeira-dama faleceu em novembro de 2008.

Trajetória política

Manoel Torres de Araújo fundou em 1945 ao lado dos irmãos, do monsenhor Walfredo Gurgel, do coronel Joel Dantas, de Plínio Saldanha e outros políticos da época o PSD (Partido Social Democrático), liderado no estado pelo senador George Avelino e por João Câmara.

Foi eleito deputado estadual pela primeira vez em 1954 e reeleito nas duas legislaturas seguintes. Em 1968 disputou a prefeitura de Caicó e perdeu por 72 votos para o advogado Francisco de Assis Medeiros (Doutor Chiquinho).

Quatro anos depois voltou a disputar a prefeitura de Caicó e ganhou de Vivaldo Costa com uma maioria de 75 votos. Em 1988 aproveitando que o seu sistema adversário estava dividido com duas candidaturas, lançou-se candidato e ganhou a prefeitura novamente. A chefia do Executivo na época era disputada por Sílvio Santos (apoiado por Vivaldo Costa) e Francisco Pereira (apoiado por Irami Araújo).

Em 1994 foi indicado como suplente numa chapa que elegeu Geraldo Melo como senador, mas não foi prestigiado, não chegando a assumir em nenhum período o senado da República. Em 1996 perdeu a disputa pela prefeitura para Vivaldo Costa. Quatro anos depois foi candidato a vice-prefeito de Roberto Germano e ajudou a derrotar Vivaldo Costa.

Cabe destacar Manoel Torres de Araújo foi quatro vezes deputado estadual, duas vezes prefeito de Caicó (1973-1975 e 1989-1992), primeiro suplente de senador da República e ainda vice-prefeito de Roberto Germano. Na atuação parlamentar o destaque fica, dentre outras matérias, para os projetos que instituíram as emancipações políticas de São Fernando e Timbaúba dos Batistas.