Universitária Zaira Cruz foi estuprada e vítima de feminicídio por Pedro Inácio, conclui Polícia Civil


A estudante universitária Zaira Cruz foi estuprada duas vezes e vítima de feminicídio pelo sargento da PM Pedro Inácio Araújo de Maria. 

Essa é a conclusão do inquérito da Polícia Civil que apura a morte da jovem de 22 anos, encontrada morta dentro de um carro no dia 2 de março, sábado de Carnaval, em Caicó. De acordo com o delegado Leonardo Germano, responsável pela investigação do caso, Zaira já havia sido estuprada por Pedro Inácio em agosto de 2018. 

O crime não foi denunciado formalmente, mas a vítima relatou para pessoas próximas. "No dia 2 de março de 2019, Zaira Cruz encontra-se com Pedro Inácio no carnaval de Caicó. Ele fica com a vítima, dentro de um veículo, entre 2h14 e 3h da madrugada. 

Neste lapso temporal, Pedro Inácio tenta ter relação sexual com a universitária, porém ela nega. Diante da negativa de Zaira, ele a estupra e depois decide matá-la. Por volta das 3hs, Zaira é encontrada morta dentro do veículo, no banco do passageiro", detalhou o delegado. 

Pedro Inácio foi preso em casa no dia 15 de março, em Currais Novos após o laudo do Instituto Técnico Científico de Polícia (Itep) confirmar que a morte foi causada por asfixia mecânica. 

Segundo a polícia, o suspeito deu caronas a amigas da vítima por volta das 2h14, antes de ficar só com ela. Imagens de câmeras de segurança registraram a presença do sargento no local onde foi encontrado o corpo da universitária por volta das 3h18. 

Zaira Cruz era natural de Currais Novos e morava em Mossoró, onde cursava Engenharia Química na Universidade Federal Rural do Semi-Árido - UFERSA.