Morre aos 68 anos o ex-vereador de Mossoró Chico da Prefeitura


Faleceu no início da tarde desta quarta-feira (14) o ex-vereador Francisco Dantas da Rocha, “Chico da Prefeitura”, vítima de complicações cardíacas. Ele tinha 68 anos, completados no dia 19 de março.

Chico da Prefeitura estava internado no Hospital Wilson Rosado, em Mossoró (RN), desde julho, quando deu entrada em estado bastante delicado. O quadro se agravou nos últimos dias e hoje, por volta das 13h, o seu coração parou de bater.

O corpo será velado na residência família, na rua Emílio Castela, 695, bairro Barrocas (zona norte). O sepultamento acontecerá amanhã (15), em horário ainda a ser definido.

O “Juventude”, como Chico da Prefeitura gostava de ser chamado e se dirigia as pessoas dessa forma, cumpriu seis mandatos na Câmara Municipal de Mossoró entre os anos de 1999 a 2012. A sua primeira eleição aconteceu em 1988, justamente na primeira vitória eleitoral da prefeita Rosalba Ciarlini (PP). Depois ele renovou o mandato em cinco eleições seguidas: 1992, 1996, 2000, 2004 e 2008.

Na eleição seguinte, em 2012, ele ficou fora devido a problemas de saúde (sofreu parada cardíaca) e foi substituído pelo irmão João Batista da Rocha (Dão) que não obteve êxito. Nas últimas eleições municipais, em 2016, Chico da Prefeitura voltou a ser candidato pelo PP, mas não se elegeu, recebendo apenas 1.081 votos (0,80%).

Por duas vezes Chico da Prefeitura tentou se eleger deputado estadual. Em 2006, chegou a receber 9.411 votos em Mossoró, mas não foi suficiente para elegê-lo. Em 2010, a sua votação no Estado chegou a 21.456 votos (1,25%), ficando em uma das suplências de sua coligação. Em ambas disputas, Chico vestiu a camisa do PFL (hoje Democratas).

Na Câmara Municipal, Chico conquistou o respeito dos colegas e dos servidores. Na vida pública, conquistou vitórias sempre defendendo os interesses e benefícios para os moradores de bairros da zona norte como Barrocas, Santo Antônio e Bom Jardim.

Francisco Dantas da Rocha nasceu em Mossoró no dia 31 de março de 1951. Era servidor público aposentado. Ele deixa viúva dona Marize de Oliveira Nogueira da Rocha, com quem teve quatro filhos: Antônio Roberto, Roberta Karine, Rondinele e Raraela Nogueira.

Jornal de Fato