OPERAÇÃO COMBUSTÃO: VÍDEOS contrariam versão do MPRN e mostram que vereadora de Angicos não estava em posse de gasolina


A operação policial que sacudiu Angicos no início de setembro, denominada Combustão, começa a ganhar elementos que enfraquem a versão da acusação, feita pelo Ministério Público do Rio Grande do Norte.

Vídeos obtidos pelo Blog do BG fragilizam a principal linha de acusação do Ministério Público, segundo quem a vereadora Nataly Felipe foi presa em flagrante em posse de combustível do município.

No dia em que deflagrou a operação, os promotores anunciaram que a vereadora, que foi secretária de Saúde, estava em posse de um veículo do município e a prisão em flagrante se deu pelo armazenamento de gasolina em desconformidade com a lei.

Mas as imagens e o depoimento de uma testemunha enfraquecem a tese da acusação.

A gasolina que foi atribuída como em posse de Nataly nunca foi apreendida na casa dela. O combustível estava dentro de um veículo SPIN, estacionado em frente ao hospital de Angicos, em frente ao qual mora Nataly.

Já no dia da operação a Justiça rejeitou a tese de peculato ao acolher o flagrante por armazenamento inadequado de combustível, ou seja, para o Judiciário não houve apropriação de bens públicos.

Além disso, o veículo estava sob a responsabilidade de Breno Yure de Oliveira Alves.

Responsável pelo gerenciamento da frota municipal de Angicos, Breno mora no mesmo endereço de Nataly, mas não foi alvo da operação.

Isso é: o carro estava sob a supervisão do responsável, estacionado em frente ao endereço no qual mora, mas foi atribuído como em posse da vereadora.

Já o combustível estava dentro da Spin em razão de viagem funcional que haveria para Pernambuco, tendo havido a escolha de pegar combustível do município para evitar gastar gasolina ao longo do percurso, onerando o contribuinte de Angicos.

Em depoimento, Breno confirmou que a acusação contra Nataly não tinha razão de ser, ou seja, que ele estava com o carro.

“Os vídeos obtidos pela defesa e o depoimento de Breno demonstram, sem qualquer margem para ilações, que Nataly não tinha a guarda do combustível apreendido, tampouco este se encontrava em sua residência”, afirmou ao Blog do BG a defesa da vereadora, representada pelo advogado Cristiano Barros.

Na decisão em que reconheceu que não se podia armazenar combustível nas condições em que estava, a Justiça prontamente afastou a tese de que Nataly praticou peculato, ou seja, que se apropriou de patrimônio público.

Apesar disso, a versão divulgada pela acusação é a que tem prevalecido até aqui. Confiram a nota do dia da prisão da vereadora.

Procurado, o Ministério Público de Angicos se posicionou através do promotor, Augusto Lima: 

“O Promotor da comarca de Angicos, Augusto Lima, mais uma vez, que, apesar da versão fantasiosa da vereadora Nataly, os galões de combustíveis e os veículos da prefeitura estavam sob sua guarda.

As chaves dos veículos, que continham os galões de gasolina, estavam na residência da vereadora, que estava afastada há meses da secretaria de saúde.

O suposto servidor indicado pela defesa da vereadora não estava no local no momento da apreensão.

Infelizmente, virou praxe no Brasil investigados mentirem para se defender e usarem veículos de imprensa para construção de narrativas. 

Em razão disso, estão sendo estudadas medidas judiciais em razão da divulgação caluniosa feita pela defesa da parlamentar.”

VÍDEOS

Os vídeos abaixo foram captados no dia da operação. São quatro no total: um mostra um síntese dos agentes policiais entrando com o combustível na casa da vereadora.

Esse momento foi pouco depois das 07h da manhã do dia 1º de setembro. Depois das 9h, eles saem com o combustível com as imagens já captando promotores que participaram da ação.

Nesse momento, a versão do MP é que os policiais teriam pegado o combustível da Spin para dentro da casa da vereadora e verificado o conteúdo. Na divulgação, no entanto, foi dito que o combustível estava em posse dela.

Confira o vídeo com resumo e um mais ampliado:



Blog do BG