Câmara de Fernando Pedroza pode ter eleição antecipada da Mesa Diretora Biênio 2023/2024 e clima de paz poderá acabar


Já circula nos bastidores da política de Fernando Pedroza (RN) a possibilidade da antecipação das eleições para presidente da Câmara Municipal, e o clima de paz da base aliada da Prefeita Sandra Jaqueline (MDB) poderá acabar antes mesmo do que se possa imaginar. 

Seguindo o exemplo de outras casas legislativas, Fernando Pedroza pode decidir pela antecipação da data da eleição para renovação da sua mesa diretora ou não. O pleito previsto para janeiro de 2023 poderá ser antecipado a qualquer momento dependendo da articulação da maioria dos vereadores e/ou de uma decisão do atual presidente Kleverlan Felix (PT), a Lei Orgânica prevê a eleição em qualquer época.

As conversas, articulações e os entendimentos que deverão ser mantidos poderão resultar na antecipação, objetivando unir ou até mesmo desunir os parlamentares pedrozenses.

A base aliada da Prefeita Sandra Jaqueline conta com 7 dos 9 vereadores. Porém, desses sete, pelo menos três parlamentares tem a pretensão e o sonho de ser o novo presidente do Poder Legislativo Pedrozense. Diante desse cenário de anseios e desejos, poderá ocorrer um racha na base de sustentação da atual gestora.

É possível que na Câmara de Vereadores de Fernando Pedroza, a prefeita Sandra poderá sim ter um conflito na própria base aliada. A disputa pela presidência da Câmara de Vereadores para o segundo Biênio 2023/2024 deverá ser uma das mais acirradas, com três e até mesmo quatro parlamentares que almejam serem candidatos, ambos pertencem ao grupo político do Executivo. 

A briga pelo comando da Augusta de Leis de Fernando Pedroza pode deixar fissuras na relação entre os aliados. Efetivamente, segundo um parlamentar aliado da Prefeita Sandra ouvido confidencialmente pelo Tribuna do Cabugi, as negociações para Presidência da Mesa Diretora no segundo biênio já seguem nos bastidores, o que pode dirimir conflitos e agregar interesses. 

Segundo esse parlamentar, a questão já envolve até mesmo e principalmente a disputa da sucessão municipal em 2024, tendo em vista o fim do segundo mandato da Prefeita Sandra que não mais poderá disputar eleição. 

“Quem tiver a presidência neste segundo biênio, terá o poder de aprovar ou vetar projetos de interesses tanto do município quanto outros assuntos que visem interesses políticos. Eu já fui ouvido por um parlamentar e já existe conversas nos bastidores sobre essa questão”, comentou.