MUNICIPALIZAR HOSPITAL DE ANGICOS foi um acerto plausível


Seguindo os preceitos do Sistema Único de Saude, que prega a descentralização e a redistribuição da responsabilidade quanto às ações e serviços de saúde entre as esferas de governo, partindo da lógica de que quem está mais perto do fato (o problema de saúde) pode influenciar melhor na decisão aumentando as possibilidades de resolução e de acerto. 

Acreditando na melhoria que a saúde do nosso município teve com a municipalização do antigo Hospital Regional e hoje Hospital Municipal de Angicos que passou a ser de responsabilidade municipal, acredito ter sido um acerto a transferência de responsabilidade do Estado para o município.

Claro, somos sabedores de que esse talvez tenha sido o maior compromisso ja firmado na atual gestão municipal do prefeito Deusdete Gomes. A princípio, não estávamos confiantes, nem eu, nem uma grande parcela da população. 

Por isso, é preciso dar a mão a palmatória e dizer que essa transferência de responsabilidade foi um grande acerto e sem duvidas quem ganhou com isso foi a própria população angicana que hoje conta com atendimentos médico normalizados com plantões 24 horas sem faltar médico plantonista.

Com a municipalização, a saúde saiu fortalecida pelo dever que estão cumprindo em favor da população de Angicos. As mudanças já foram percebidas e sendo assim, parabenizamos os envolvidos que se empenharam nessa luta de buscar a solução certa para que a nossa maior unidade hospitalar não vinhesse a ser fechada.

Segundo o artigo 198 da Constituição Federal, as ações e serviços públicos de saúde integram uma rede regionalizada e hierarquizada que constituem um sistema único, organizado de acordo com as seguintes diretrizes: descentralização, com direção única em cada esfera de governo; atendimento integral com prioridade para as atividades preventivas, sem prejuízo dos serviços assistenciais e participação da comunidade.