Natal ultrapassa 2 mil mortes por Covid-19


Geysa Barbosa da Costa, de 66 anos, era policial civil aposentada e foi miss Rio Grande do Norte na década de 1970. No dia 1º de março deste ano, perdeu a luta para a Covid-19 após mais de 15 dias internada, deixando quatro filhos, oito netos e um bisneto.

Ela se tornou uma das mais de 2 mil vítimas da Covid-19 em Natal - número que foi ultrapassado nesta segunda-feira (19), segundo dados do boletim epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap).

Ao todo, morreram 2.015 pessoas apenas na capital potiguar desde o início da pandemia. Esse número representa 39,9% dos 5.126 óbitos registrados em todo o estado até o momento. Natal ainda tem outros 375 óbitos em investigação.

A capital potiguar figura atualmente como a 20ª cidade com mais mortes por Covid-19 no Brasil, segundo levantamento do G1 com base nos dados das secretarias estaduais de saúde de todo o país (veja aqui). A taxa de letalidade no município é de 3,4% - a média nacional é de 2,3%.

Natal, que tem 890 mil habitantes, segundo estimativa do IBGE, também é a cidade potiguar com mais casos confirmados de Covid-19: 57.767.

A primeira morte em Natal foi a do gastrólogo Matheus Aciole, de 23 anos, no dia 31 de março de 2020. Essa representou também a segunda morte no estado - a primeira foi a do professor da UERN, Luiz Di Souza, em Mossoró, três dias antes. A capital potiguar atingiu as 1 mil mortes no dia 10 de outubro do ano passado.

Os outros municípios com mais óbitos registrados pela doença no estado são Mossoró (406), Parnamirim (379) e São Gonçalo do Amarante (168).

G1RN