Postos de Saúde de ANGICOS entram para quatro meses sem médico e população angicana sofre por falta de atendimento


Sem médico há quatro meses, Angicos vive um drama, e ao mesmo tempo, a maior calamidade pública na área da saúde dos últimos anos. Na cidade a população de quase 12 mil habitantes depende do atendimento de quatro enfermeiros em seus respectivos postos de saúde. 

A razão é a mesma de sempre: sem atrativos e receosos, os médicos não aparecem para ocupar as vagas disponíveis nas quatro unidades de saúde da cidade; muitos alegam estarem temerosos em vim prestar os seus serviços e trabalharem com uma secretária que persegue os servidores e trabalha a mão de ferro. 

Nem mesmo salários astronômicos ajudam a despertar o interesse desses profissionais. O último médico que trabalhou na moderna UBS do Alto do Triângulo, atendeu até o mês passado, ele estava sobrecarregado e atendia quase que toda população dos demais postos do município. 

Tirava plantões de mais de 24 horas, se revezando em atendimentos ambulatoriais e de urgência e emergência no Hospital Regional de Angicos. Ganhava R$ 13 mil por mês, mas só agüentou dois meses. 

A carga de serviço é muito pesada e era este profissional médico o responsável por tudo, desde pequenos procedimentos até os mais graves. Muitos não aguentam ficar muito tempo trabalhando com a atual secretária Nataly Felipe, coisa inédita no município. A saúde está na UTI, a cidade está sendo devastada diante dos nossos olhos.