Policial Militar suspeito de matar enfermeira na ZN de Natal tem prisão preventiva decretada


O Policial Militar 'Galdino' suspeito de matar a técnica de enfermagem Dayana Deisy Oliveira de Lima, ex-companheira dele, foi preso nesta quarta-feira (13) em Natal. O PM se apresentou na Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e ficou detido sob força de um mandado de prisão temporária.

De acordo com a Polícia Civil, o policial não aceitava o fim do relacionamento e, por isso, teria assassinado Dayana. A técnica de enfermagem estava com medida protetiva expedida pela Justiça contra o ex-companheiro, desde o mês de março deste ano.

Dayana Deisy tinha 29 anos de idade e foi executada na porta da casa em que mora a mãe dela, na Zona Norte da capital potiguar, nesta segunda-feira (11). O suspeito tinha dois filhos com Dayana. O assassinato aconteceu no conjunto Parque das Dunas. De acordo com a polícia, a mulher estava do lado de dentro do imóvel, quando ouviu uma pessoa chamá-la na rua. Depois de sair para ver quem era, foi alvejada com vários disparos de arma de fogo. A pessoa que atirou estava dentro de um Fiat Siena, segundo testemunhas. Ela morreu no local.

Um dos filhos de Dayana Deisy viu a mãe morta na calçada. Ele brincava com o irmão em uma praça do outro lado da rua no momento do crime.

O corpo da técnica de enfermagem foi velado nesta terça-feira (12), no centro comunitário do conjunto e foi enterrado às 11h desta quarta-feira (13), no cemitério de Nova Descoberta. Vários amigos e familiares compareceram ao centro comunitário, para se despedir de Dayana. Ela trabalhava no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e, recém-formada em Enfermagem, almejava atuar como enfermeira das Forças Armadas.