Caern retira equipamentos de áreas alagadas após cheia da barragem Armando Ribeiro Gonçalves


O abastecimento de cidades com mananciais de superfície, como açudes e barragens, exige das equipes da Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) operações de “resgate” de equipamentos. Transformadores elétricos e conjunto motobombas que foram sendo instalados, à medida que a barragem Armando Ribeiro Gonçalves ia perdendo volume, agora precisam ser retirados.

Uma equipe da Regional Seridó, esteve dentro da barragem fazendo a retirada de um transformador que foi instalado na captação da adutora Serra de Santana no Poço dos Cavalos. Com a cheia do Rio Piranhas, e consequente chegada de água na Barragem Armando Ribeiro, as áreas, anteriormente secas, foram alagando. A equipe do Seridó se desloca com barco a motor.

A execução do serviço é feito em áreas ilhadas. No domingo passado (3), eles estiveram na comunidade Camilos recuperando dois conjuntos motobombas. O deslocamento dos equipamentos é feito com caminhão Munck e uso de flutuantes (boias) para deslocar os equipamentos dentro da barragem. Para realização destes serviços, não foi preciso paralisar o abastecimento da Serra de Santana porque são equipamentos que foram desligados com o início das cheias.

Para execução deste serviço é necessário disciplina, disposição física e prática. O serviço se estende do nascer do sol até à noite. Um trabalho invisível que é extremamente importante. “É uma equipe muito comprometida com a Caern. Nós só temos a agradecer pelo trabalho dos empregados que estão sempre disponíveis para a execução de serviços que são necessários para atender à população e a própria Caern”, ressalta a gerente da Regional Seridó, Rosi Gurgel.

A adutora Serra de Santana, atende as cidades de Florânia Tenente Laurentino Cruz, São Vicente, Lagoa Nova, Bodó, comunidades rurais de Florânia, além de comunidades rurais de São Rafael e Santana do Matos. A captação desta adutora chegou a se estender por quinze quilômetros dentro da barragem no período seco. Agora, o bom inverno já permitiu que a captação de água voltasse ao seu ponto original utilizado pela última vez em 2015.

Adutora Médio Oeste

Serviço semelhante precisa ser feito também na captação a Adutora Médio Oeste que abastece as cidades de Triunfo Potiguar, Paraú, Campo Grande, Janduís, Messias Targino e Patu. Com a chegada de águas na captação desta adutora, o flutuante (boias) que sustentam o conjunto motobomba precisa ser retirado de dentro de áreas alagadas para área seca. A equipe também precisa executar o serviço com segurança e técnica para mudar o local de captação. O que é retirado pode ser usado em outras áreas e em diferentes sistemas de abastecimento.

Blog Danilo Evaristo