Covid-19: “a Igreja, como um todo, se entristece com cada morte: de bispos, padres, diáconos e de cada batizado”, afirma dom Joel


O Brasil continua como o segundo país do mundo com maior número de casos e mortes na pandemia do novo coronavírus, chegando a marca de 2.098.389 infectados, segundo dados do mais recente boletim do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).  No total, 79.488 pessoas morreram pela doença.

No episcopado brasileiro, a Covid-19 também tem feito suas primeiras vítimas. Desde o início da pandemia no país, dois bispos já tiveram o óbito confirmado pela doença. O caso mais recente foi o de dom Henrique Soares da Costa, bispo de Palmares (PE), que faleceu na noite do último sábado, 18 de junho, aos 57 anos de idade (relembre o caso). Além dele, dom Aldo Pagotto, arcebispo emérito da Paraíba, teve o óbito confirmado pela doença. O bispo faleceu em abril, aos 70 anos de idade.

Dom Joel Portella, secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), disse que a Igreja, como um todo, se entristece com cada morte: de bispos, padres, diáconos e de cada batizado e batizada. “A morte é sempre cruel, ainda mais quando chega do modo devastador como está acontecendo na pandemia”, disse.

Para ele, junto com a tristeza, vêm, por certo, a esperança e o compromisso. “A esperança é a da feliz ressurreição para dom Henrique Soares e todos que a morte ceifou de junto de nós. Como cristãos, somos anunciadores da Ressurreição e é nessa hora que nossa fé é ainda mais testada”, apontou.

O compromisso, segundo dom Joel, é o de trabalhar para que o enfrentamento da pandemia seja feito com tranquilidade, união de forças, apoio mútuo, solidariedade, resiliência e tudo mais de que necessitamos nesse momento. “Nós devemos isso a todas as vítimas da Covid-19, ao nosso país e às gerações futuras. Deus, que acolheu os mortos pela pandemia, nos fortalece no cuidado de nós mesmos e uns dos outros”, reiterou.

Fé e confiança – Apesar do número de óbitos, o Brasil registrou nesta segunda-feira, 20 de julho, o total de 1.371.229 pessoas curadas do coronavírus. Dessa estatística fazem parte quatro membros do episcopado.

Sabe-se que até o presente momento os bispos que estão curados da doença são: dom Juarez Souza da Silva, bispo de Parnaíba (PI); dom Alberto Taveira Corrêa, arcebispo de Belém (PA), dom Antônio de Assis Ribeiro, bispo auxiliar de Belém (PA), e dom Edson Tasquetto Damian, bispo de São Gabriel da Cachoeira (AM).

Outros quatro estão de repouso e em recuperação, são eles: dom Ailton Menegussi, bispo de Crateús (CE); dom Plínio José da Luz, bispo de Picos (PI); dom Vítor Agnaldo de Menezes, bispo de Propria (SE) e dom Joaquim Wladimir Lopes Dias, bispo de Colatina (ES).

Sacerdotes

Cresce também o número de padres do Brasil acometidos pela Covid-19. O último levantamento realizado pela Comissão Nacional de Presbíteros (CNP), divulgado no dia 29 de maio no portal da CNBB, trouxe a confirmação de 117 infectados e 14 mortes (confira a matéria). Um novo está sendo produzido pela Comissão e deverá ser divulgado em breve.