“Água e Óleo” tentam mais uma vez esquecer diferenças político-pessoal em ANGICOS


Não é mais surpresa para ninguém o caminho que a oposição angicana deve tomar nas eleições deste ano. Na semana passada uma sequência de pesquisas foram realizadas em nosso município, e pelo que o Blog tomou conhecimento nada bom para quem tenta retomar o Poder Executivo Municipal Angicano.

Os ex-prefeitos e até então ferrenhos adversários e inimigos políticos Clemenceau Alves (PMDB) e Ronaldo Teixeira (PSB) devem formar uma coalizão de forças (ACORDÃO), que enfrente o bem avaliado prefeito Deusdete Gomes de Barros (PSDB).

Angicos já viu essa união. Eles não se suportam. Um não confia no outro. Já foram aliados e se traíram na década de 2000, tudo pela busca e anseio pelo comando do Poder Executivo.

Em 2004, 2008, 2012 e 2016 não quiseram conversa. Não se misturaram. Na última eleição municipal, até que tentaram, mas foram rejeitados uns pelos outros. Agora, 20 anos mais tarde tentam se unir em busca do mesmo objetivo que é tentar derrotar o atual prefeito Deusdete Gomes.

Para formação de chapa o MDB de Clemenceau indica o cabeça: Miguel Pinheiro Neto, atual vice-prefeito do município. Já o PSB de Ronaldo deve indicar o nome da companheira como vice-prefeita na chapa de Pinheiro.

A população angicana não se engana e sabe que os idealizadores desse acordão sempre foram adversários em confrontos marcados por palavras ásperas e gestos de intolerância, no passado. Pela ganância de Poder, eles precisam superar muitas diferenças. Os Juntos e Misturados (Água e Óleo) terão de ultrapassar as sequelas de infindáveis desavenças da política.

As conversas caminham e indicam uma nova reaproximação. Fica a indagação se “ÁGUA E ÓLEO” podem quimicamente se juntar, pelo menos no campo político.