Deputados sugerem transformar hotel em hospital e abrir supermercados 24h


O deputado estadual Vivaldo Costa (PSD) se pronunciou no último horário da sessão ordinária desta terça-feira, na Assembleia Legislativa, destinado aos deputados, para informar de um pedido que fez à governadora Fátima Bezerra (PT). Vivaldo sugeriu que o Governo do Rio Grande do Norte aproveitasse o espaço onde hoje funciona o Hotel Escola Barreira Roxa para abrir um hospital de campanha.

“Sabemos que o hotel faz um trabalho importante de cursos, mas neste momento está fechado, e mesmo se não tivesse, a prioridade é a COVID-19”, afirmou Vivaldo, que também usou seu tempo para homenagear o deputado Sandro Pimentel (PSOL) no seu último dia como parlamentar. “Sandro tem um imã, ele consegue atrair as pessoas e atraiu toda a Assembleia, desde os funcionários, a segurança da Casa e nós deputados. Ele vai deixar saudade”, concluiu Vivaldo.

O deputado Coronel Azevedo (PSC) também fez referências ao deputado Sandro, enaltecendo que as diferenças políticas foram respeitosas, e fez um apelo ao Governo do Estado e aos municípios, para que apresentem informações sobre gastos do dinheiro que está sendo repassado pelo Governo Federal, lembrando que a Procuradoria da República fez essa cobrança ao Estado.

“Aonde está sendo gasta essa dinheirama entregue a estados e municípios?”, questionou Coronel Azevedo. Dirigindo-se à governadora Fátima Bezerra, questionou sobre o uso de “recursos volumosos” e sobre como estão sendo ocupadas as vagas de UTI.

O deputado Subtenente Eliabe (Solidariedade), que no horário de lideranças criticou a ação do governo em relação ao atendimento às forças de segurança durante a pandemia, e foi rebatido no mesmo espaço pelo deputado Francisco do PT, líder do Governo na Assembleia, e voltou a falar sobre o assunto.

“Não tenho dúvida do caráter e do zelo com a coisa pública” dos integrantes da Polícia Militar que comandam as forças de segurança. Disse que reconhecia iniciativas deste e de governos anteriores em relação a promoções de militares, mas ressaltou que as críticas feitas se restringem ao enfrentamento da pandemia. “A omissão existe e é real no tocante à pandemia”, afirmou o parlamentar.

Encerrando o horário, o deputado Getúlio Rêgo agradeceu aos pares a solidariedade recebida durante sua quarentena em casa se tratando da COVID-19. “É uma doença extremamente debilitante”, disse o parlamentar que não precisou ser internado. Ele ressaltou a importância do bom condicionamento físico. “Sou frequentador de academia”, disse Getúlio, afirmando que o exercício físico amplia a imunidade.

O deputado ainda pediu uma reflexão sobre as decisões dos comitês científicos em relação ao encurtamento do tempo do comércio. “Quando encurta há uma crescente demanda e a facilidade de difundir o vírus com mais velocidade”. Ele argumentou que, com os horários reduzidos, a procura termina sendo maior provocando aglomerações.

“Os supermercados deveriam ampliar os horários, poderiam ser como nos Estados Unidos que funcionam 24 horas, aí as pessoas com comorbidades poderiam escolher o melhor horário”, afirmou o deputado Getúlio Rêgo, fazendo ainda um apelo às Secretarias de Saúde. Para que adquiram o “capacete Elmo”, um equipamento acoplado ao ventilador ou ao fluxo, que transporta oxigênio aos pacientes de forma não invasiva, e que poderá livrar os doentes da intubação. Ele explicou que o equipamento custa pouco mais de R$ 2.000,00.